Tony Amado: «Fui eu que inventei o nome Kuduro»

Tony Amado é uma referência obrigatória quando se fala do Kuduro, estilo que afirma ter criado em 1995. Hoje toca no mundo inteiro sempre com a bandeira de Angola.

Como sempre, há a disputa entre os "kuduristas" sobre quem foi o grande percussionador  do estilo que "bate" dentro e fora de portas. Em relação à invenção e criação do mesmo, Tony Amado pronunciou-se afirmando ter sido ele o grande inventor, por isso, em declarações à rádio Luanda, explicou os motivos que o fazem ser o verdadeiro "Rei do kuduro".

"Os registos da televisão podem mostrar: todas as primeiras imagens sobre o estilo foram feitas comigo. Fui eu que inventei o nome “Kuduro” e inclusive registei esta obra pública no ministério da cultura em meu nome. Os primeiros passos de dança, as primeiras coreografias, os nomes de guerra como Salsicha e Vaca Louca foram feitos por mim e muitos dos jovens que fizeram sucesso foram coordenados por mim. Comecei o projecto e graças a Deus ele estendeu-se pelo mundo todo. "

Por reclamar ser o pioneiro do Kuduro e pelos contributos que já deu ao país o artista acha que merecia mais reconhecimento até porque graças aos seus feitos muitos jovens angolanos mudaram a sua vida. "Eu acho que como criador do estilo que leva o nome da nossa bandeira a muitos lugares merecia muito mais do que tenho hoje. Acho que o carinho do povo angolano, os dirigentes e o ministério da cultura deviam elaborar algo porque a partir do que fiz muita gente hoje se beneficia: tirei jovens da delinquência, ajudei muita gente a ter emprego, muitos mudaram de vida. Eu dei o meu contributo pelo país e continuo a dar, foi um dom que Deus me deu. Talvez tenha sido usado para conseguir dar direcção a muitos miúdos e hoje inclusivamente vários deles se estão a formar nas universidades. Temos vários exemplos, um deles é o Bruno M. Por causa deste estilo hoje muitos jovens têm a oportunidade de ter outra maneira de vida.

Hoje em dia parece não haver Kuduro sem os famosos "beefs". Quanto a esse ponto tão relevante no seio deste estilo musical, Tony Amado aproveitou a ocasião para deixar claro que é contra este tipo de pratica. " Eu sou contra o que fazem no kuduro, põem o Rangel contra o Sambizanga e por aí em diante. Sou contra os Beefs no kuduro, porque isso não foi o meu pensamento original, eu criei o Kuduro para animar e para fazer as pessoas dançar."

No que diz respeito às relações amorosas, o artista contou que já foi casado e se divorciou mas que neste momento o seu coração já está novamente ocupado e vive com a nova parceira. Tony Amado confessou também que a música “Mizé”  foi especialmente dedicada à sua ex-mulher Mizé pelo amor que sentia por ela.

O musico angolano não deixou ainda de explicar que neste momento está muito bem graças ao esforço do seu trabalho e que o seu próximo álbum está para ser lançado em breve, contudo a data ainda não será anunciada porque, segundo explicou, já fez algumas promessas que não foram cumpridas mas que os fãs podem aguardar porque brevemente irá lançar a sua nova obra discográfica.

 

Fonte: Sapo Banda

Rádio Jet7 Angola

Vídeos Sugeridos

Procurar Vídeo