Suraya Cortez: “Já subi em palcos mesmo sendo humilhada”

A jovem cantora angolana, Suraya Cortez, autora do hit “Quero Amor”, emitiu um desabafo nas redes sociais, acusando os membros da sua produtora “Dj Nation” de a tratarem como mera fonte de rendimento e de não estarem preocupados com o seu bem-estar.

Suraya Cortez que está ligada à Dj Nation há cerca de 7 anos, lamenta a falta de irmandade por parte dos responsáveis da produtora, citando como exemplo, o facto de nunca ter recebido visita da parte deles, quando esteve adoentada e a passar por dificuldades.

A cantora afirma que o seu trabalho é desvalorizado, apesar dos sacrifícios que faz para cumprir com as suas obrigações profissionais. Humilhações, noites mal dormidas e trabalhos realizados mesmo estando doente, são algumas das situações a que Suraya diz ter sido sujeita.

Veja o desabafo de Suraya Cortez, divulgado na sua página do Facebook:

“O meu trabalho é desvalorizado por algumas pessoas, sem terem noção do mau bocado q passo em cada actuação, em cada palco q piso, em cada aquário q entro para a gravação de uma nova música!

Canto por amor antes do dinheiro no bolso está a minha intenção de agradar os ouvidos de quem me ouve, quem já ligou e pediu para cantar a custo zero saberá reconhecer.

A caminho de 07 anos vivi presa em um contrato q n qual me foi útil, houve vantagem e desvantagens, mas o q mexe comigo ao longo dessa caminhada é q a pesar das minhas manias, mimos preocupei me em ser primeiro filha, amiga, antes de pensar somente no contrato vinculado entre Suraya cortez e Dj Nation!

Vários contratos rejeitei pensando na irmandade, na lealdade, na humildade, na sinceridade q guardei por nós.

Lembro-me das noites mal dormidas, das viagens mesmo estando doente para gravar um vídeo clipe, lembro tbm dos táxis q apanhei para ir aos programas televisivos e radiofónicos.

 Já subi em palcos mesmo sendo humilhada pensando em vcs.

 Como tbm lembro-me quando cai de cama e fiquei debilitada n vi nenhum de vcs lá, lembro-me quando passei dificuldades pessoais e vcs n estiveram lá, lembro-me q dei meu ombro, minhas preocupações por vcs q vcs por mim só pensavam em trabalhos e trabalhos eu sou a fonte de dinheiro, se n estiver bem vcs n fazem nada (…) obrigada por tdo (…) ainda continuo a espera de uma atitude de irmandade de vossa parte.”

Fonte: Jet7 Angola

(Foto: Reprodução)

Rádio Jet7 Angola

Vídeos Sugeridos

Procurar Vídeo