Realizadora angolana Pocas Pascoal, vence prémio de longa-metragem de ficção nacional

O filme “Por aqui tudo bem”, da realizadora angolana Pocas Pascoal, venceu a categoria de melhor longa-metragem de ficção nacional, da IV edição do Festival Internacional de Cinema de Luanda (FIC - Luanda), realizado de 18 a 24 do corrente.


O prémio foi anunciado no Cine Atlântico, em Luanda, durante a gala de encerramento do festival, que contou com a presença da ministra da Cultura, Rosa Cruz e Silva.


O drama “Por aqui tudo bem”, estreado em Angola na abertura do festival, narra em 93 minutos, as dificuldades vividas por duas adolescentes angolanas que passam por Portugal com destino a França, para pedirem asilo político, devido à guerra. O filme foi finalizado em Setembro deste ano, tendo estreado no Festival do Rio de Janeiro, em Outubro último.


Em declarações ao Jornal de Angola, a realizadora disse estar feliz com o prémio e informou que começa a dirigir em Janeiro do próximo ano, em Angola, um filme e um documentário sobre as mulheres angolanas.


 

Residente há 25 anos na capital francesa, onde tem a sua editora independente, Pocas Pascoal tem duas curtas-metragens, uma longa-metragem e dois documentários produzidos, e participou nos festivais internacionais de cinema em Paris, Montreal, Milão, Roma, Roterdão e Ouagadougou.


Quanto às classes de melhor documentário e de melhor curta-metragem, de cariz nacional, o júri deliberou não atribuir prémios devido à insuficiente qualidade dos filmes em concurso.


Na competição estrangeira, “My Heart of Darkness”, do realizador sul-africano Marius Van venceu a categoria de melhor documentário, e “A Menina dos Olhos Grandes”, do cabo-verdiano Fonseca Soares e do grego Alexis Tsafa, foi a melhor longa-metragem de ficção.

 

O filme “Garagouz”, do argelino Abdenour Zahzah, foi a melhor curta-metragem estrangeira.

O Prémio de FIC Revelação, uma escolha dos professores e formandos do curso de curta-metragem, foi atribuído ao filme angolano “Arma”, de Donilson Miguel Serafim. O filme retrata a delinquência juvenil e a violência doméstica.


A melhor sinopse foi atribuída ao filme “O Mundo do Cão”, do realizador angolano Eurico Pereira.

Estiveram em concurso este edição do festival 35 filmes, sendo oito nacionais e 27 estrangeiros.


A organização da quarta edição do festival homenageou Francisco Henriques, Victor Henriques, Carlos Henriques, Ana Silva, Viriato Coelho, Isabel Pereira de Almeida e Sebastião Dourado, por serem os precursores do cinema angolano.


Os formandos dos cursos de direcção de actores e de curta-metragem, ministrados pelos cineastas Mário Grilo e Ana Costa, receberam diplomas de participação.


A gala de encerramento do FIC-Luanda contou com a actuação do músico Dodó Miranda, e a exibição do percussionista Joãozinho Morgado, e dos mestres da dikanza Zé Fininho e Raúl Tolingas.

 

Fonte: Jornal de Angola

Rádio Jet7 Angola

Vídeos Sugeridos

Procurar Vídeo