Paulo Flores explica em entrevista a origem da Kizomba e suas influências

A equipa do Jet7 Angola resgatou uma entrevista do músico angolano "Paulo Flores" na Rádio RDP África, realizada em Setembro deste ano, pelo radialista angolano Carlos Pedro, onde o músico fala de vários assuntos da sua carreira, incluindo a origem da Kizomba.

 

Paulo Flores explica em entrevista a origem da Kizomba e suas influências

 

Esta entrevista vem reforçar o conhecimento do público em geral a respeito da Kizomba e dar algumas respostas sobre a polémica levantada pelo músico cabo-verdiano “Denis Graça”, ao afirmar que a música Kizomba terá surgido em Cabo Verde.

 

Apesar de Denis Graça ter apresentado uma carta aberta a corrigir as suas afirmações, reconhecendo que a Kizomba surgiu em Angola, a sua explicação a respeito da trajectória da Kizomba deixou algumas dúvidas e levantou outras questões sobre as verdadeiras influências da Kizomba.

 

Nesta entrevista, Paulo Flores explica a origem da Kizomba, o seu significado e suas influências:

 

“A Kizomba é uma palavra do Kimbundu e quer dizer festa” – Afirma Paulo Flores.

 

Segundo Paulo Flores, a essência “cadência” da música Kizomba vem principalmente das Antilhas, através de fusões criadas por Eduardo Paím com os ritmos angolanos.

 

Depois de Eduardo Paim, Paulo Flores afirma que surgiram outros músicos e bandas a fazerem Kizomba, como o seu caso, de Ruca Van-Dúnem, Ricardo Abreu, Fernando Santos, Ciro Cruz, Nando Quental, N´Sexy Love, Don Kikas, Maya Cool, Tabanka Djaz (Guiné Bissau), Tropical Band, etc.

 

Posteriormente a este movimento de artistas a fazerem Kizomba, Paulo Flores afirma que surgiram outros músicos e bandas de Cabo Verde, vindos da Holanda, como o caso do grupo Livity e Splash, com destaque para Grace Évora, Dina Medina, Rui Last One, Manu Lima, Johnny Ramos, etc.

 

Paulo Flores afirma que apesar de não ser a pessoa mais indicada para explicar as características da Kizomba, reconhece a existência de algumas regras na forma como se toca o aro e diz que ela não é muito rápida e nunca vai além dos 120 Bpms (Batidas por minuto).

 

Para Paulo Flores, existe actualmente muita confusão na classificação da Kizomba, e como exemplo, citou duas das suas músicas “Bota Bota e Gepe”, que considera como Kizomba, mas que o público as classifica como sendo Semba, por ser ele a cantar.

 

O músico salientou que toda esta confusão em torno da Kizomba existe porque não se fala sobre o assunto e não existem testemunhos documentados sobre os factos, para impedir que se criem histórias que não fazem parte da realidade.

 

Veja a entrevista em vídeo:

 

 

 

Fonte: Jet7 Angola / Rádio RDP África

Rádio Jet7 Angola

Vídeos Sugeridos

Procurar Vídeo