Paulo Flores dá espectáculo no dia 17 de Dezembro nos Coqueiros denominado "Boda"

Paulo Flores volta dia 17 ao estádio dos Coqueiros para um showLuanda - Três anos depois de lotar o estádio dos Coqueiros, em Luanda, com mais de 22 mil espectadores, o músico angolano Paulo Flores volta a reunir os seus fãs a 17 deste mês, naquele recinto, onde fará o espectáculo "Boda anos 70, 80 e 90".

 

O artista define este show como "uma festa de gerações, famílias, amigos e uma celebração de liberdade, pela arte, pela música e  pela poesia que tem construído a identidade angolana".

 

Paulo Flores, um dos fortes impulsionadores do ritmo kizomba na década de 1990, a par de Eduardo Paim, Ruca Van-Dunem, Tropical Band, Irmãos Almeida, Diabick e outros, assume o novo desafio com um ponto extra, em relação a actuação de 1998, pois ressurge para aos fãs na condição e artista mais querido do ano de 2011.

 

Vencedor do Top dos Mais Queridos 2011, o músico acrescenta que este é também uma oportunidade para viajar-se no tempo e rebuscar as músicas dos anos 70, 80 e 90, tocadas em Luanda.

 

Além das músicas de sua autoria, realçou, serão interpretados temas de Ruca Van-Dunen e Ricardo Abreu, entre outros artistas que também fazem parte da sua história.

 

Para tal, de acordo com o artista, temas como “A carta” e “Boda”, com o qual venceu o Top 2011, “O Povo", "Inocente", "Cherry", "Je Pè", "Bota Bota", "Xé Povo", "Sassassa", "Marika", "Cabelos da Moda", "Inocente", "Serenata Angola", "Minha Senhora", "Makalakato", “Clarice” e outros constarão do guião artístico.

 

A actuação de Paulo Flores será antecedida de vários momentos, com realce para a abertura, que estará a cargo da Banda Evolution, interpretando músicas dos anos 1970,1980 e 1990.

 

Passará também pelo palco a compositora Garda, que fará uma apresentação acompanhada do Grupo Nguami Maka, encontro de guitarristas solos dos anos 1970, 1980 ,1990 e, por último Kiari Flores (filho de Paulo Flores) apresentará um solo de bateria.

 

Nascido em Luanda, em 1972, o autor tem no mercados os discos "Kapuete Kamundanda", 1988, "Sassassa", 1990, "Coração Farrapo", 1991, "Cherry", 1991, "Brincadeira Tem Hora", 1993, "Inocente", 1995, "Perto do Fim", 1998, "Recompasso", 2001, e "Xé Povo", 2005, além de um "Best Of" e um DVD ao vivo.

 

Músico, cantor e compositor, Paulo Flores é actualmente um dos expoentes máximos da música em Angola, ostentando, nas suas criações, os valores da cultura angolana, desde a sua herança patrimonial às suas expressões mais vanguardistas, numa busca constante de novas fórmulas e sempre aberto a outras culturas.

 

Gravou o seu primeiro disco só com composições e poemas seus aos 16 anos, tendo participações em todos os discos de Ruca Van- Dunen “Sem Kijila”, “Sem Kijila Também”, “Sem Kijila Ainda” e “Sem Kijila Sempre”, assim como nos trabalhos de Ricardo Abreu e nos dois da Banda Maravilha.

 

Teve ainda participações em outros projectos, como “Picante”, de Dj Dias Rodrigues, “Quintal do Semba”, no qual foi co-autor, juntamente com o baterista Marito Furtado, “Calo Páscoa e Amigos”, entre outros trabalhos publicados no país.

 

Fonte: Angop

Rádio Jet7 Angola

Vídeos Sugeridos

Procurar Vídeo