Os Kiezos voltam ao mercado com o disco 'Homenagem a Vate Costa'


 


Luanda - O agrupamento "Os Kiezos" está de volta ao mercado discográfico nacional, com o lançamento, neste sábado (4 de Maio), na Praça da Independência, em Luanda, do disco “Homenagem a Vate Costa”.


Com nove temas, seis das quais novas, o disco, segundo um dos integrantes do agrupamento, Hildebrando de Jesus “Brando”, que avançou a informação hoje à Angop, é uma homenagem a um dos seus vocalistas já falecido, Vate Costa, em função do contributo dado na afirmação do agrupamento.


Por ser um disco de homenagem a Vate Costa, de acordo com  Brando, contou com as participações de Givago, que interpreta dois temas, Alice Ferreira, Lulas da Paixao, Chico Coio e Augusto Chacaia, amigos do homenageado.
 

O  também viola solo do grupo referiu que a homenagem ao músico Vate Costa, falecido em 2010, é uma forma de recordar o artista, numa altura em que o grupo pensava gravar o disco no mesmo ano.


“Quando estávamos a trabalhar na composição das letras do disco, subitamente chegou-nos a notícia do seu falecimento. O momento abalou-nos. Então, esse é o reconhecimento do conjunto a Vate Costa pelos seus feitos”, reforçou.

 
O disco, cujas músicas são interpretadas em português e quimbundo e ritmadas nos estilos semba, bolero e rumba, foi gravado à base de instrumentos musicais tradicionais, levando em consideração os moldes de gravação modernos, para ter melhor qualidade.

 
Numa primeira fase, de acordo com a fonte, serão colocados à disposição dos fãs quatro mil cópias, devendo, em caso de necessidade, recorrer-se a uma reedição.


Entre os membros do conjunto que participaram no referido disco destacam-se Brando e Texas (violas solo), Zeca Tirilene e Gegé Faria (violas ritmo), Décimos, Carlitos, Moreira Filho e Benjamim Tomás (violas baixo), Neto, Mequias Ramiro e El Mano (teclados), Abana Maior (tumbas), Miguel Gonçalves (trompete), Rui Gonçalves (trombone), João Diloba (bateria), Raquel Lisboa e Zecax - já falecido - (coros).


Os Kiezos, formado na década de 60 por jovens oriundos de famílias humildes, animou inicialmente festas de bairros, onde se notabilizou, granjeando o reconhecimento nacional.

 
Motivados por uma paixão pelos ritmos nacionais, a sua música integrou, muitas vezes, influências de estilos musicais de artistas congoleses, latino-americanos, entre outros.


Absorveram igualmente linhas melódicas de agrupamentos nacionais como os Negoleiros do Ritmo, Musangola e os Gingas. Apesar dessas influências, a banda não perdeu a sua originalidade em termo de ritmos, que o tornaram num dos maiores executantes da música popular urbana de Angola.


Ao longo do seu percurso, Os Kiezos foram autores de músicas como “Milhoró”, “Comboio”, “Princesa Rita”, “Zá Boba”, “Monami”, “Jingololo”, “Tristezas não Pagam Dívidas” temas que marcaram a vida dos angolanos nas décadas de 70 e 80.


Com 37 anos (1976) de carreira, o grupo teve como expoentes máximos o percussionista António Miguel da Silva (Kituxi), o vocalista Adolfo Coelho e o guitarrista Anselmo de Sousa Arcanjo (Marito).

 
Este último foi considerado um dos mais talentosos solistas do cancioneiro angolano dos anos 70 e 80, na mesma época em que pontificava ainda o guitarrista Zé Keno, de “Os Jovens do Prenda”.

 

Fonte: Angop

Rádio Jet7 Angola

Vídeos Sugeridos

Procurar Vídeo