Orlando Kikuassa "Penso que a poligamia é a desvalorização total da mulher"

Orlando Kikuassa "Penso que a poligamia é a desvalorização total da mulher"

O humorista angolano "Orlando Kikuassa", integrante do grupo Os Tuneza, concedeu uma entrevista ao Jornal de Angola onde revelou vários aspectos da sua vida privada.

Leal e sincero, como ele mesmo se define,  gosta da obra literária de Agostinho Neto e da companhia da namorada. O seu músico predilecto é Yuri da Cunha e não dispensa um bom funge de peito alto.

Nome: Orlando Rodrigues Kikuassa.

Idade: 32 anos.

Data de nascimento: 28/09/1982.

Calçado : 43.

Ocupação: Actor e empresário


Naturalidade: Uíge.

Estado Civil: Estou numa relação.

Filhos: três.

Sonhos: Começam por alcançar os meus objectivos.

Sente-se realizado? Acredito que a vida ainda tem mais para me oferecer e que estou no caminho certo.

Tem carro próprio? Sim.

E casa? Sim.

Como se veste de segunda a sexta-feira? Casual e clássico.

Aos fins-de-semana - Depende.

Usa roupa de marca? Sim.

Cor preferida: Branco.

Qual é a marca de perfume que usa? Hugo Boss.

Que importância tem a mulher?     A mulher, para mim, é um ser muito especial, elas são a fonte da vida, sem elas não seríamos ninguém. Grande parte da educação que temos, recebemos das nossas mães. As mulheres devem ser tratadas com todo o respeito.

Acredita em forças ocultas? Sim.

Como reage a elas? Orando.

Onde passa as férias? Lisboa.

Cidade predilecta? Paris.

Virtudes: Lealdade e sinceridade.

Defeito: Persistência.

Vício: Nenhum.

Ídolo: Não possuo.

Livro: “Sagrada Esperança”.

Escritor: Agostinho Neto.

Uma boa companhia? A minha namorada.

Músico: Yuri da Cunha.

Comida: Funge de peito alto.

Bebida: Sumo natural de laranja.

Sabe cozinhar? Pouco.

O quê, por exemplo? Sei fazer refeições rápidas.

É ciumento? Sim, mas de uma forma saudável.

Bate nas mulheres? Não. 

Desporto: Taekwondo.

Clube: Petro de Luanda.

Alguma vez mentiu? Sim.

Já foi enganado? Sim.

Ano que mais o marcou? 2014.

Porquê? Conheci a mulher da minha vida.

O que acha da corrupção? Um ciclo vicioso, que está implantado na nossa sociedade, com o qual os valores morais se afundam.

Homossexualidade? É uma orientação sexual com a qual não concordo, mas respeito quem a escolheu, sou contra qualquer tipo de discriminação.

Poligamia? Penso que é a desvalorização total da mulher. Algo muito presente na nossa sociedade e que, se não for combatido ou condenado, permanece nas gerações futuras.

Fonte: Jornal de Angola

Rádio Jet7 Angola

Vídeos Sugeridos

Procurar Vídeo