Novo disco de Coréon Dú «Binário» apresentado em Luanda

Coréon Dú apresentou ontem, na Praça da Independência, em Luanda, o seu terceiro álbum e segundo de originais. Intitulado “Binário”, o disco marca o sucesso na internacionalização do músico.

 

Novo disco de Coréon Dú «Binário» apresentado em Luanda

 

O disco conta com a colaboração de artistas dos Estados Unidos, Brasil e Cuba, países onde foi gravado. A produção musical é do aclamado latino-americano Andrés Levin, vencedor de um Grammy, Carlinhos Brown empresta a voz e na co-autoria das composições dos 12 temas surgem Cláudia Brant, Fernando Osório, Lady, Pretinho da Serrinha, Márcio Victor, Gabriel e Rogê. O pianista Roberto Carlos “Cucurucho” Valdez, da banda cubana “Los Van Van”, também aparece num dos temas.


O baixista Richard Bona toca no tema “Bailando Kizomba”, primeiro single do álbum “Binário”, cujo lançamento simultâneo em Angola e no exterior contribuiu para o momento de glória em que está a carreira de Coréon Dú.


Os temas “Bailando Kizomba” e “Amor Robótico” estiveram, este ano, no Top 40 dos Estados Unidos. “Bailando Kizomba” concorreu ao Top 15 da tabela “Bilboard”, revista semanal norte-americana especializada em informações sobre a indústria musical, enquanto “Amor Robótico” está entre as 40 músicas mais tocadas, num total de 100, na categoria “Tropical”.


Fruto da boa receptividade do trabalho realizado, os temas deste novo disco são frequentemente tocados em órgãos de comunicação mundiais, com destaque para os Estados Unidos, Portugal, México, Espanha e França.


“Sinto-me feliz por partilhar a cultura angolana com outros países e estar próximo dos angolanos que não têm contacto frequente com a nossa música. É um grande feito porque muitos artistas com carreiras mais longas não atingem essas marcas. A minha carreira é resultado de muito sacrifício e trabalho.

 

Estou feliz com a carreira, mas por vezes tem sido desconfortante, pois somos obrigados a ficar muito tempo fora de Angola, a divulgar os nossos trabalhos pelas rádios”, disse o músico durante a apresentação do disco na Praça da Independência.

 

Coréon Dú explicou que o título do disco reflecte a conjugação dos ritmos nacionais e africanos de raiz com elementos de outros países do mundo e a tecnologia musical. Além de ser um código da computação, recorreu a expressão “Binário” para se referir aos dois elementos que compõem o disco: “a música como tal e a tecnologia usada para a fabricar”.

 

“Faço alusão com frequência ao mundo das tecnologias e à ficção científica. Sou a conjugação dos ritmos nacionais e africanos de raiz com elementos de outros países do mundo. Gosto de misturar as raízes africanas, as afro-latinas, como faço alusão, também, nesse caso, à tecnologia musical”.

 

O disco tem 12 músicas cantadas em português, espanhol e inglês, uma escolha pessoal do músico e uma resposta à solicitação dos que acompanham o seu trabalho como artista desde o lançamento do primeiro disco, “The Coréon Experiment”, em 2010.

 

Fonte: Jornal de Angola

 

Rádio Jet7 Angola

Vídeos Sugeridos

Procurar Vídeo