Novo álbum de Dj Djeff estará disponível no final de Agosto

 

Chegou há cinco anos a Angola e diz que "vim para a guerra, vou ter que ganhar". O campo de batalha de Tiago Barros, mais conhecido como Dj Djeff, são as pistas de dança do país e do mundo. A sua luta? Chegar ao topo, ser respeitado e ter reconhecimento pela sua música. A "Ascensão do Soldado" chega às ruas já no final do mês.

A "Ascensão do soldado" é o segundo álbum a solo do Dj Djeff e estará à venda nos dias 31 de Agosto e 1 de Setembro, na Praça da Independência e no Belas Shopping respectivamente.

Em conversa com o SAPO, o Dj e produtor de 29 anos refere que este novo trabalho "se calhar mexe um bocado mais com as pessoas". Em "Ascensão do Soldado", Djeff explora o deep house, um subgénero do house music, que é "mais calmo, algo para as pessoas ouvirem mais ou prestarem atenção à mensagem ou à musicalidade." Em resumo, explica que é "mais para se sentir, é algo mais profundo."

"Ainda não vi nenhum produtor em Angola a fazer house music mais virado para este estilo", explica acrescentando que "há um que faz uma ou duas músicas, então achei necessário".
 
Apesar de, no início, não ter sido fácil mostrar o seu trabalho e marcar uma posição dentro do mercado angolano, hoje tem noção que as pessoas o seguem e que "os dj's que estão a começar têm me um bocado como exemplo." É por isso, que considera importante começar a "direccionar ou a mostrar um pouco mais do que se passa lá fora".

Criticando um "bocado" a cena angolana, que "está a ser tudo muito igual" com "a base do beat e os temas sempre a andar à volta do mesmo", Djeff pretende mostrar um outro caminho dentro deste estilo de dança. "Achei que era importante alguém tomar essa decisão", consciente que "as pessoas podem não ouvir ou apreciar da mesma forma que o habitual".

Visto ser algo com que trabalha já "há tanto tempo" e que quando começou não lhe era possível fazer, aproveita esta fase da sua carreira para ir mais longe, arriscar.

Para além de acreditar ser um contributo para a evolução do house music em Angola, o músico diz que este trabalho é importante também para ele "como soldado tomar essa ousadia".

Posicionado em Angola diz que "agora tem vindo a marcar passos a nível internacional e continuado a fazer o seu trabalho. É desta forma que tenho vindo a mostrar mais do Djeff, enquanto Dj e produtor".  

Agora Djeff quer "pegar na bandeira de Angola e levar o país de certa forma, dentro do estilo de música que eu faço, soulfull, deep house e o afro house para outro nível."

Optimista acredita que esta é a "oportunidade" de elevar a música angolana. "Aproveitar todo o interesse do mundo por Angola, tentar juntar o útil ao agradável e levar isto o mais longe possível".  

Embora o novo disco de Djeff explore um subgénero da música de dança pouco familiar aos ouvidos dos angolanos, conta com a participação de nomes populares na praça angolana, Paulo Flores, Nelson Freitas e Kaysha.

Antes de se despedir do SAPO, Djeff partilhou o segredo do seu sucesso, "trabalho, insistência e o facto de acreditar que era possível". Para aqueles que estão a começar, o músico diz que é importante ser humilde e optimista. "As pessoas têm que ser positivas, acreditar nas coisas e trabalhar arduamente para que tudo bata certo. Não há necessidade de atropelar ninguém, nem de pisar os outros, basta ficarmos no nosso canto, porque o que é nosso está guardado".

 

Fonte: Sapo Banda

Rádio Jet7 Angola

Vídeos Sugeridos

Procurar Vídeo