Músico Carlos Lamartine é homenageado

A homenagem ao músico Carlos Lamartine vai marcar a 16ª edição do Festival da Canção de Luanda, a realizar-se dia 20, no Cine Atlântico, em Luanda, numa promoção da Rádio Luanda Antena Comercial (LAC).

 

O director artístico do festival, Paulo Costa, disse que a homenagem a Carlos Lamartine visa destacar o contributo dado para o engrandecimento da cultura nacional, principalmente a música.

A homenagem inclui ainda a interpretação dos seus temas pelos dez concorrentes à fase final, designadamente Neide da Luz, Waldemar Cabadi, Elisabeth Mambo, Rui Tomás, Vladimir Macedo, Obadias Correia, Graça Baptista, Nica Caxinda, Teresa Filipe e a dupla Viegas/Euclides.


O festival decorre no âmbito das celebrações dos 21 anos de emissão da LAC, que organiza o festival.


Com 70 anos, Lamartine foi um dos fundadores dos grupos Os Kissuekeia e Macacos do Ritmo, tornando-se posteriormente vocalista dos Águias Reais.


Paulo Costa disse que a distinção acontece também porque ele acompanhou os momentos mais importantes da história da Música Popular Angolana, desde o “período de ouro” da época colonial, passando pela fase da independência, até à actualidade, e “vem construindo uma carreira que, embora valorizando a pluralidade estilística e conceptual da modernidade musical, defende um segmento artístico que o próprio designa de ‘música angolana de raiz popular”. 


“O horizonte poético da esperança, a evocação dos heróis da luta de libertação, o retorno aos costumes da tradição, o apelo à unidade dos homens e a denúncia das injustiças sociais, constituem os temas nucleares das canções de Carlos Lamartine, muitas das quais fazem parte da memória colectiva dos angolanos”, reforçou.


Paulo Costa salientou, ainda, que a homenagem se justifica pelo facto de o artista ser um dos músicos da geração que elegeu os princípios básicos da criação artística, ajudou na valorização do cancioneiro popular, na exaltação da história política de Angola e na defesa dos valores culturais da africanidade. 


Início de carreira 


Carlos Lamartine começou a sua carreira musical em 1956, com o grupo Kissueias do Ritmo, conjunto musical formado por Nando Kajibota (caixa), irmão do Antoninho “Parte os Cornos”, do Kituxe e seus acompanhantes, Barceló de Carvalho (vocal e harmónica), David André (Tizinho, vocal), João Gonçalves (bailarino) e Inácio (dikanza e chocalho). O músico iniciou os estudos primários na Escola da Missão de São Paulo, em 1953, passou pela Escola da Liga Nacional Africana, e ingressou no Liceu Nacional Salvador Correia, em 1956.


José Carlos Lamartine Salvador dos Santos Costa, nasceu em Benguela, no dia 29 de Março de 1943. Fez parte, de 1962 a 1964, do conjunto os Makoko ritmo, e enveredou depois por uma carreira a solo, fazendo-se acompanhar pelos melhores conjuntos angolanos da época, de 1965 a 1970, incluindo o conjunto os Kiezos, grupo onde substituiu, temporariamente, o cantor Vate Costa, seu irmão, depois da sua prisão, na sequência de uma acusação no processo do caso “Milhorró”, uma canção que a ditadura colonial considerou ousada e subversiva.

 
Em 1970, foi a voz principal do conjunto Águias-Reais, com Manuelito (viola baixo), Gregório Mulato (percussão, nos bongós) e Gino (Guitarrista solo), somando uma série de sucessos, num dos mais importantes grupos musicais luandenses, que existiu até aos finais dos anos 70.

 
Na sua carreira a solo, passou a ser acompanhado e gravou, de 1973 a 1977, com o conjunto os Merengues, e participou em diversas digressões nacionais e internacionais, com o emblemático conjunto Kissanguela.

 

Fonte: Jornal de Angola

 

Rádio Jet7 Angola

Vídeos Sugeridos

Procurar Vídeo