Marlon Pacheco promete levar caso de assédio sexual no Mister Angola até ao fim

Marlon Pacheco promete levar caso de assédio sexual no Mister Angola até ao fim

 

Após vários dias sem emitir uma opinião oficial sobre a perda do título de Mister Angola 2014, para o segundo classificado "José Arnaldo", Marlon Pacheco decide finalmente quebrar o silêncio.

 

O Ex-Mister Angola 2014 "Marlon Pacheco" falou em exclusivo para a Revista Lux Angola, sobre o polémico caso de assédio sexual enquanto Mister Angola 2014, bem como a perda do título de Mister Angola, orientada pelo Comité Mister Angola, liderado por Hadjalmar El Vaim (C.E.O da Agência Hadja Models), por alegada fuga à paternidade no Brasil e desrespeito pelo contrato celebrado.

 

Na entrevista, Marlon Pacheco confirma ser o autor do conteúdo de uma conversa privada no WhatsApp, tornado público sem a sua autorização, em que acusa a respectiva agência/comité de assédio sexual com homens e de promover a prostituição.

 

O Ex-Mister Angola 2014 afirmou que a justificação apresentada pelo Comité Mister Angola "fuga à paternidade", serviu apenas de pretexto para esconder os reais motivos que o levaram a perder o título de Mister Angola 2014 "recusa ao assédio sexual e aliciamento".

 

Quanto à acusação de fuga à paternidade, Marlon esclareceu que teve um caso com a jovem brasileira "Maeva Romao", e que meses depois a mesma comunicou-lhe que estava grávida de dois filhos, e que Marlon era um dos suspeitos da paternidade, e que tinha de regressar ao Brasil para efectuar os testes de paternidade:

 

"Voltei ao Brasil em janeiro e íamos fazer os testes, mas por outras razões acabei por voltar á Angola e pouco depois concorri á Mister" revelou Marlon.

 

"O Ex-Mister garante que desde então a sua mãe, Senda Feijó, manteve contacto com Maeva, depositando-lhe algum dinheiro através de familiares que tem no Brasil e oferecendo-lhe alguns bens matérias, até que os testes de paternidade fossem realizados."

 

Marlon Pacheco também referiu que o Comité Mister Angola estava a par desta situação, ainda durante a fase de preparação do Mister Angola 2014.

 

"Já se sabia da questão da paternidade durante o processo, estavam a par da situação e inclusive eu iria ao Brasil daqui á alguns meses com eles para fazer o teste." afirmou Marlon.

 

Marlon voltou a abordar a questão do assédio a que tinha sido alvo, ainda durante a fase de preparação do concurso:

 

"Depois começaram haver situações com as quais não colaborei com o Comité, situações de assédio que foram acontecendo desde o processo de preparação do concurso.

 

Quero frisar que não tenho provas físicas e concretas sobre esta acusação, mas tenho testemunhas que podem esclarecer, que sofreram também o tal assédio. Perante o mandato foi esclarecido que tinha que ser daquele jeito ou eu iria perder o título.

 

Foi aí que começaram os problemas! No início não desisti porque havia uma série de trabalhos para começar a fazer, depois deparei-me com aquela situação, falei com a minha família e assim decidimos que tinha de me afastar." - afirmou Marlon Pacheco.

 

O Ex-Mister Angola afirmou também, que sempre tentou cumprir com os seus deveres enquanto Mister Angola 2014, mas que foi gradualmente abandonado pelo Comité Mister Angola, ao ponto de deixarem de atender os seus telefonemas e responderem as suas mensagens.

 

Marlon Pacheco garantiu que irá levar este caso até ao fim, apresentando queixa por ofensa ao seu bom nome:

 

"Estou a ser lesado por invasão de privacidade, porque foram divulgadas conversas com a rapariga do Brasil, a fotografia dos filhos que são situações exclusivamente familiares. Ele (Hadjalmar) está a expor o nome da minha família, então eu vou até onde tiver que ir.

 

Tenho uma obrigação pessoal com a sociedade angolana e como tal, vou defender os meus princípios até ao fim com todas as consequências, para evitar que o assédio moral e situações do género continuem a prejudicar jovens”, finalizou Marlon Pacheco.

 

HADJALMAR EL VAIM USOU A MESMA REVISTA PARA SE DEFENDER DAS ACUSAÇÕES

 

Quando questionado sobre as razões que levaram o Comité Mister Angola a retirar o título de Mister Angola 2014 a Marlon Pacheco, Hadjalmar respondeu que Marlon não tem carácter e que ele (Hadjalmar), prefere trabalhar com pessoas que sejam um exemplo para a nossa sociedade, e que o objectivo do concurso além de eleger um homem bonito, é resgatar valores.

 

"Infelizmente o candidato passado não conseguiu cumprir esses requisitos. Sentimos nele muita falta de responsabilidade. Marlon foi contra algumas cláusulas do contrato que foi assinado depois da eleição, mas o problema maior que se põe, é o facto de ele ter fugido à paternidade de duas crianças no Brasil, e nós não podemos de forma nenhuma compactuar com isso." afirmou Hadjalmar.

 

O responsável pelo Comité Mister Angola acrescentou que não teme qualquer repercussão que este caso venha a ter:

 

"Quem conhece o nosso trabalho, quem me conhece pessoalmente sabe muito bem o quanto sou uma pessoa idónea e o trabalho que tenho desenvolvido. As pessoas têm acompanhado e não há nada a temer." - finalizou Hadjalmar.
 

Fonte: Jet7 Angola / Lux

Rádio Jet7 Angola

Vídeos Sugeridos

Procurar Vídeo