Kelly Silva e Lawilca vendem e autografam discos no Kwanza Sul

Sumbe - Os músicos Kelly Silva e Lawilca procederam, domingo, na cidade do Sumbe, a venda e autografo dos seus mais recentes trabalhos discográficos, numa cerimónia enquadrada ao lançamento do programa “Kialumingo” pela Rádio Kwanza Sul, do grupo Rádio Nacional de Angola.


Kelly Silva, que pela primeira vez vende e assina autógrafos do seu quarto disco, intitulado “Algo Especial” na cidade do Sumbe, disse a imprensa que o disco comporta 13 faixas musicais, tendo sido produzido nos Estados Unidos da América, Portugal e editado na Espanha.


Quanto as participações, Kelly Silva disse que a produção do disco contou com as participações da banda Lamáfia e de artistas como Hugo Pina, Lípcia e Beto de Almeida, com uma tiragem total de 25 mil cópias.


Kelly Silva, que levou para o Sumbe 300 cópias para a venda e sessão de autógrafos, disse ter sido bem sucedido nas vendas, a julgar pela aderência do público nas províncias por onde passou, com destaque a província do Huambo.


Depois de ter passado pelas províncias de Luanda, Cabinda, Huambo, Bié, Kuando Kubango e agora no Kwanza-Sul, tem agendado deslocações com o mesmo fim para as provínvias de Benguela, Namibe e Huíla.


O outro artista que vendeu e assinou autógrafos do seu segundo trabalho discográfico foi o Lawilca que trouxe para o Sumbe também 300 cópias dos dez mil exemplares produzidos.


O disco à venda de Ladislau Wilson Camacho, como é oficialmente chamado, tem como título “Não sou o mesmo homem” e comporta 12 faixas musicais nos vários estilos, com destaque para R&B, Trova e Afro-music. O disco foi produzido no país e contou com as participações de músicos nacionais como Irina França, Nicolas Ananaz e Reptile.


Lawilca referiu que já procedeu à venda de seu disco nas províncias do Uíge e agora no Kwanza Sul, vai prosseguir em Cabinda e Benguela.


Quanto a receptividade do seu trabalho pelo público, Lawilca considerou positiva e garante que para ser um sucesso tem de contar com a procura do disco pelos seus fãs e lança um apelo para o público aderir em massa, como passo importante de combater a pirataria musical em Angola.

 

Fonte: Angop

Rádio Jet7 Angola

Vídeos Sugeridos

Procurar Vídeo