Juiz nega liberdade condicional ao médico de Michael Jackson

O juiz que presidiu, no ano passado, ao julgamento de Conrad Murray, médico acusado da morte de Michael Jackson, recusou-lhe a liberdade sob fiança enquanto aguarda o resultado do recurso que interpôs.

 

O juiz disse à imprensa norte-americana que o cardiologista Conrad Murray tem poucas possibilidades de ver a pena reduzida e que o considera “perigo para a saúde pública”.

 

Michael Pastor afirmou ter ficado chocado com uma entrevista que Conrad Murray deu, em que reafirma que o propofol – o medicamento que matou Michael Jackson – pode ser administrado em casa com segurança.

 

Uma vez que Conrad Murray nasceu em Trinidade, Caraíbas, referiu, é possível que tenha a intenção de fugir dos Estados Unidos para um país onde lhe permitam exercer medicina.

 

Fonte: Jornal de Angola

Rádio Jet7 Angola

Vídeos Sugeridos

Procurar Vídeo