Godzila: O autor do sucesso «A Mota Não Está a Pegar»

Godzila: O autor do sucesso «A Mota Não Está a Pegar»

 

Tornou-se num dos kuduristas mais populares do momento principalmente com a faixa "A Mota Não Está a Pegar". Godzilla do Game esteve na TPA onde falou da sua carreira musical e da originalidade que leva para as suas faixas.

 

Godzila explicou parte da sua trajectória e salientou os nomes de Sebem, Tony Amado e Nagrelha por terem sido as suas maiores influências musicais: "Musicalmente falando sempre fiz Kuduro, mas o que me despertou foi a parte de animação de festas. Comecei ainda no ano 2000 e lutei bastante para estar onde estou agora. Posso dizer que o que me pôs bem enquadrado no mercado foi mesmo a minha presença nas festas onde animava o pessoal. Disso eu nunca vou esquecer porque a grande parte do público que tenho hoje saiu desses lugares.

 

Já as minhas influências para cantar foram aqueles que começaram primeiro, como o Sebem e o Tony Amado, mas hoje em dia o que mais tem me influenciado é o Nagrelha porque ele é muito original naquilo que faz, ele assumiu ser Kudurista assim como eu assumi ser animador de festas, mesmo sendo discriminado por muita gente. É o que sempre gostei de fazer, o que sempre amei e lutei para conseguir espaço nesta área.

 

"A Mota Não Está a Pegar tornou-se um hit por todo o país"

 

O seu primeiro sucesso no mercado é o hit do momento intitulado "A Mota Não Está a Pegar". Simplista e original, o artista falou de como surgiu a ideia para criar o tema: "A mota não está pegar não surgiu propriamente como uma música. Isso é algo que acontece a todos os rapazes que andam de mota. No meu caso aconteceu o seguinte: eu estava com os amigos e as namoradas numa festa e quando saímos de lá uma das motas de um parceiro não estava a pegar. Ficámos todos a ver a situação, inclusive algumas pessoas à volta aglomeraram-se. Gozámos um bocado com o momento e depois a mota finalmente pegou. Eu como sempre fui animador, guardei este momento e comecei a introduzir nas festas que animava, o pessoal começou a apanhar e foi aí que percebi que tinha de gravar e tornar isto numa música. Gravei, lancei e aquilo tornou-se um hit por todo o país."

 

Sendo um estilo nacional, o kuduro tem-se tornado no estilo de música de eleição dos jovens angolanos e lançado muitos jovens artistas na estrada do sucesso. Por esse motivo Godzilla realçou o que esse estilo significa para si: "Eu começo por definir  música: música é ritmo arte e poesia e para mim o Kuduro está na área do ritmo, contudo hoje ele atingiu um nível que nos obriga a primar mais pela poesia. Hoje podemos transmitir mensagens positivas nas músicas e coros construtivos, já não é apenas ritmo agora é também poesia inserida numa arte que é a musica. Essa mistura faz-nos produzir o Kuduro do futuro."

 

"Sinceramente tem sido insuportável [a fama]"

 

"Sinceramente tem sido insuportável, mas quem está na chuva é para se molhar. Contudo eu sou carinhoso com as pessoas e embora que haja sempre aqueles que me querem atirar pedras, tenho muita gente que aplaude as minhas obras. É normal porque a música tem o lado bom e o lado mau. Fora estas coisas o que estou a viver no mundo da música  tem sido muito bom, os fãs são muito carinhosos comigo."

 

Godzilla lançou a sua primeira obra intitulada "Farra Rija" em Outrubro deste ano na Praça da Independência. O álbum teve uma  produção musical de Joyce Gomes e Dj M e participação de músicos como W King, Agostinho Cicatrizante e Débora Nogueira da banda movimento. "Farra Rija porque desde sempre fui um animador de festas. Este meu CD é uma mistura do passado e do presente, juntei todas as coisas que fiz na música para dar de uma vez aos meus fãs."

 

Fonte: Sapo Banda

Rádio Jet7 Angola

Vídeos Sugeridos

Procurar Vídeo