Gabriel Tchiema traz influência cubana em novo CD

Luanda – O músico angolano Gabriel Tchiema iniciou em Havana, Cuba, a segunda etapa de gravação do seu novo CD a solo, que terá como novidade a introdução de um tema no género bolero, tocado à maneira dos instrumentistas cubanos.
 
 
Em entrevista à Angop, a propósito da sua recente participação na Feira Internacional do Livro de Havana, realizada de 14 a 24 de Fevereiro, o artista disse ter sido uma escolha acertada, dada a qualidade e o profissionalismo dos executantes daquela ilha.
 
 
“Eu fiquei em Cuba 15 dias e aproveitei gravar uma música com músicos cubanos, que está em bolero e tchatchatcha. A mesma foi cantada em cockwe e na minha óptica e dos cubanos está uma maravilha, uma música internacional”, disse.
 
 
Segundo o músico, a música gravada em Cuba tem por título “Mungole”, que será igualmente a designação do novo disco, cuja data de publicação o artista diz desconhecer ainda.
 
 
“Tocamos uma música que nós em Angola e eu pensava ser uma balada, mas na sua identificação em Cuba chamam-na bolero. Foi uma verdadeira aula de música”, esclareceu. 
 
 
“Mungole significa aquela chuva que começa às 6:00 da manhã e nunca termina, ou termina no outro dia. Acontece muito isto no Leste de Angola. É a história de alguém que desrespeitou o seu lar e, com a grande chuva, vai pedir perdão”, explicou.
 
 
Gabriel Tchiema confessou ter sido a “primeira vez que se sentiu efectivamente satisfeito no estúdio e resolvido como músico, pois conseguiu materializar, com os executantes cubanos, todas as ideias que trazia de Angola.
 
 
“Isso para mim foi uma grande experiência. Todas as minhas ideias foram realmente captadas e feitas nessa música. Penso que se Deus quiser, vamos continuar a trabalhar com músicos cubanos”, regozijou-se o autor de “Azulula” e “Dona”.
 
 
O artista explicou que “Mungole” foi a oitava música gravada para o novo CD, que começou a ser produzido em Luanda.
 
 
Disse ser prematuro avançar uma data para a tiragem do trabalho, tendo acrescentado que está a trabalhar na parte de produção com o profissional cubano Andy e com o angolano Nino Jazz, cuja fase está quase concluída.
 
 
“A fase do Nino Jazz já está quase terminada, pelo que vamos começar com um outro produtor, Fredy, viola baixo, com quem vou trabalhar em músicas específicas do Leste de Angola e afro beat, ou seja música africana”, adiantou.
 
 
Gabriel Tchiema disse pretender gravar no novo álbum 13 temas, acrescentando que o produto terá todos os ritmos que se identificam consigo.
 
 
“Penso ser um erro grande apostarmos num género de música com o qual as vezes não conseguimos identificar.
 
 
Sou de opinião que a música deve ser natural e fluir. Portanto, todos os ritmos que se identificarem comigo estarão nesse e nos outros discos a gravar”, concluiu.
 
 
Fonte: Angop

Rádio Jet7 Angola

Vídeos Sugeridos

Procurar Vídeo