Filme sobre Justin Bieber é um fracasso de bilheteira

Filme sobre Justin Bieber é um fracasso de bilheteira

 

O Natal não trouxe bons presentes para Justin Bieber, pelo menos a julgar pela recepção do público ao seu novo documentário, “Believe”, que de acordo com o “Wall Street Journal”, foi apenas o 14º filme mais visto no dia 25 de Dezembro, nos EUA.

 

No dia de estreia, o filme fez 1,25 milhões de dólares nas bilheteiras, bem longe dos valores astronómicos que o primeiro documentário atingiu há dois anos. Em 2011, o filme “Never Say Never” arrecadou 12 milhões de dólares no dia de estreia, e alcançou um total de 73 milhões de dólares só nos cinemas norte-americanos. O “Wall Street Journal” prevê que o documentário “Believe” dificilmente vai ultrapassar a barreira dos 25 milhões de dólares na contagem final.
 

A fraca promoção de “Believe”, documentário feito por uma produtora de menor dimensão, a Open Road Films, enquanto o primeiro filme de Bieber foi lançado pela Paramount Pictures, pode explicar o fracasso no dia da estreia. O próprio cantor já recorreu ao Twitter para pedir aos admiradores que fizessem deste o “fim-de-semana ‘Believe”, para fazer o filme subir na tabela dos mais vistos nos EUA.
 

Com perto de 48 milhões de seguidores no Twitter e mais de 60 milhões no Facebook, o jovem de 19 anos é um fenómeno à escala mundial, que arrasta multidões e gera milhões de dólares.
 

No dia de Natal, contra os 1,25 milhões de dólares arrecadados por “Believe”, o filme que levou mais norte-americanos aos cinemas foi “O Hobbit: A Desolação de Smaug”, obtendo assim um rendimento de 9,3 milhões de dólares nas bilheteiras.
 

“Believe” foi feito como uma sequência do documentário “Never Say Never”, e volta a acompanhar Justin Bieber na sua mais recente digressão mundial, misturando imagens dos concertos com momentos privados e entrevistas exclusivas com Bieber e as pessoas mais próximas do cantor.
 

Justin Bieber é, actualmente, um dos músicos mais influente nas redes sociais, onde supera até mesmo Barack Obama e Dalai Lama. Parte da sua fama vem do site YouTube, onde tem milhões de visualizações.

 

Fonte: Jornal de Angola

Rádio Jet7 Angola

Vídeos Sugeridos

Procurar Vídeo