Fãs lotam Praça da Independência para adquirirem novo CD de Yola Semedo

Fãs lotam Praça da Independência para adquirirem novo CD de Yola Semedo

 

Luanda - Numa verdadeira demonstração de popularidade, a cantora angolana Yola Semedo reuniu centenas de fãs durante o lançamento, seguido de venda e sessão de autógrafo, do disco "Filho Meu", realizado neste sábado, no Parque da Independência, em Luanda.

 

A cantora regressou ao Parque da Independência, em Luanda, quatro anos após ter lançado o disco “Minha Alma”, atraindo ao local centenas de pessoas que, provavelmente, representa o multiplicar de uma popularidade que poucos da sua profissão dão-se ao luxo de exibir.

 

O Parque da Independência esteve lotado de fãs e admiradores da cantora que, simpaticamente, recebeu um a um para fotos e assinaturas de autógrafos. De um lado era visível a demonstração de felicidade de quem viu o disco autografado, do outro notava-se ansiedade naqueles que ainda continuavam a ver a artista a largos metros de onde se encontravam, numa fila que, para eles, parecia nem sequer sair do lugar.

 

Detentora de invejável tonalidade vocal que remete o público, até a uma certa medida, ao ícone da música negra norte-americana Aretha Franklin, Yola Moutofa Coimbra Semedo, é uma jovem nascida no município do Lobito, na província de Benguela, dois anos após o país alcançar a independência nacional (1975).

 

Compositora de mão cheia, detentora de técnica vocal apurada, teve parte da infância partilhada entre Angola e São Tomé e Príncipe, enquanto a Namíbia assistiu ao desabrochar da sua adolescência.

 

Embora tenha alcançado fama em 1997 com o tema “Magui”, enquanto vocalista da banda Impactus 4, com a qual partilhavam irmãos e primos da família Semedo, a cantora começou cedo a exercitar a voz, provando, mais uma vez, a componente complementar do talento.

 

Foi em 1984, na cidade do Lubango, onde o primeiro passo de uma longa e frutífera carreira foi dado. A um certo dia, ela e os irmãos foram convidados a apresentarem-se num festival realizado no Cine Arco-íris. A banda compôs e deu a cantar à Yola o tema “A Minha Boneca”. De lá para cá, a mesma só fez questão de preencher o seu destino. Destino este que a colocou no pódio como a artista angolana mais premiada: “Voz de Ouro de África” (1995), “Melhor Voz Feminina de Angola”, por três vezes (2000, 2006, 2007), “Balada do Ano (2006), “Melhor Intérprete Feminina”, por duas vezes (2006, 2007) e “Diva do Ano”, em 2007 e 2008.

 

Analisando os quase 30 anos de actividade artística de Yola, percebe-se com maior naturalidade o acumular de gente na Praça da Independência. E muitas delas assistiram as metamorfoses porque passou a artista. Desde os primeiros passos enquanto integrante da banda Impactus 4, o mergulho numa carreira individual (que já vai ao terceiro disco) até a formação de uma família, cujo primogénito veio ao mundo em 2012. É, aliás, este último pormenor que, segundo a cantora, constituiu a base para o trabalho que agora apresenta.

 

Yola Semedo homenageia o filho neste disco cujo título, “Filho Meu”, remete, sem muito esforço mental, a esta ideia.

 

O disco regista 14 músicas cujos estilos viajam pelo semba, kizomba e zouk, ritmos que contaram com a colaboração de outras estrelas da galáxia musical angolana como é o caso de Livongh, C4 Pedro, Bober, Dji Tafinha e o Punidor.

 

Numa primeira etapa, a cantora reproduziu 22 mil cópias deste álbum, número que, ao contar com a quantidade de admiradores que pela Praça da Independência passaram hoje, sem dúvida alguma terá de ser multiplicado por quatro durante as próximas semanas.

 

Fonte: Angop

Rádio Jet7 Angola

Vídeos Sugeridos

Procurar Vídeo