Escritor angolano João Melo admite enveredar pelo romance

Escritor angolano João Melo admite enveredar pelo romanceLisboa (Do correspondente) - O escritor angolano João Melo admitiu na quarta-feira, em Lisboa, durante a sessão de lançamento do seu mais recente livro  “Os Marginais e Outros Contos", enveredar pelo género romance, embora "não seja um compromisso irrevogável".


Ao responder ao desafio do apresentador do livro, o professor universitário Carlos Reis, feito durante a sessão de lançamento, na livraria Leya Buchholz, João Melo, que escreve em poesia, conto, crónica e ensaio, concordou não ter "faltado muito" para que o livro “Os Marginais e Outros Contos" fosse um romance, mas enfatizou "não vir a defraudar, se na próxima vez não aparecer com um romance".


"É apenas uma hipótese", disse João Melo, para quem “Os Marginais e Outros Contos" faz um pouco o balanço "não só dos 35 anos da Independência de Angola, mas também da geração de angolanos que, aquando da proclamação da Independência, tinham 20 a 30 anos e que hoje, apesar de vários desencanto, se mantém fiéis à determinados valores e princípios".


Entrevistado pela Angop, João Melo disse retirar do livro "a mensagem de que é necessário que todos se empenhem na construção de uma Angola generosa e onde todos os angolanos caibam".


Publicado com a chancela da editora Caminho, do grupo Leya (Portugal), “Os Marginais e Outros Contos" está editada em formato convencional, com 168 páginas, e também disponível também na versão "e-book".


Nascido em 1955, em Luanda, João Melo estudou Direito em Coimbra e Luanda, graduou-se em Jornalismo na Universidade Federal Fluminense e fez o Mestrado em Comunicação e Cultura na Universidade Federal do Rio de Janeiro, ambas no Brasil.


É ainda membro fundador da União de Escritores Angolanos (UEA), da qual já foi secretário-geral, presidente da Comissão Directiva e presidente do seu Conselho Fiscal.


Como jornalista, tem 35 anos de experiência profissional, tendo trabalhado na Rádio Nacional de Angola (RNA) e dirigido a Agência Angola-Press (ANGOP) e o Jornal de Angola, assim como o Correio da Semana, primeiro jornal angolano privado pós-independência, surgido em 1992.


Além de ter criado, em 2006, a revista África 21, colabora em diversas publicações, mantendo actualmente uma coluna regular no Jornal de Angola e no Semanário Angolense, ambos em Angola; assim como nos jornais Savana, de Moçambique; A Semana, de Cabo Verde; e Correio da Semana, de São Tomé e Príncipe.

 

Fonte: Angop

Rádio Jet7 Angola

Vídeos Sugeridos

Procurar Vídeo