Elias Dya Kimuezo homenageado na gala do Angola Music Awards

Elias Dya Kimuezo recebendo galardão das mãos da ministra da Cultura, Rosa Cruz e SilvaLuanda – O músico Elias Dya Kimuezo foi o homenageado na primeira edição do Angola Music Awards, cuja gala teve lugar neste sábado à noite no Centro Conferências de Belas, em Luanda.

 

A homenagem ao artista serviu para destacar oseu contributo na promoção, valorização da música angolana, bem como a sua afirmação além-fronteiras. 

 

Falando sobre a homenagem ao rei Elias Dya Kimuzo, a ministra da Cultura, Rosa Cruz e Silva, considerou o Angola Music Awards/2013 como um momento de exaltação à música nacional, fazendo com que os artistas de Cabinda ao Cunene engajem-se cada vez mais, apesar das dificuldades por que passam.

 
“Apesar das dificuldades, os artistas têm dado o melhor de si, colocando no lugar certo a cultura angolana”, salientou a governante, referindo que o momento em que esteve no palco com o músico Elias Dia Kimueko serviu para agradece-lo por tudo quanto tem feito pela música angolana", disse a ministra.
 
A ministra disse, por outro lado, que o Ministério da Cultura irá proporcionar uma banda ao Rei Elias Dia Kimuezo.
 
Nasceu no Bairro Marçal, com o nome de Elias José Francisco, no dia 2 de Janeiro de 1936. Aos sete anos de idade, torna-se órfão, facto que o obriga mais tarde aos 12 anos a ir viver em casa da avó, no Bairro Sambizanga, onde aprende a comunicar-se de forma fluente, na sua língua materna o kimbundo.
 
A sua constante frequência no Samba Kimúngua, na zona do Bungo em Luanda, onde residiam vários operários do Porto e dos Caminhos-de-ferro que tocavam e dançavam o Kinganje, fez com que descobrisse, aos 15 anos de idade, a sua vocação artística, que o leva a integrar-se na Turma do Margoso, como vocalista principal e tocador de bate-bate.
 
Dois anos mais tarde, muda-se para o agrupamento Os Kizombas, que naquela altura, tocava nas farras do Salão Malanjinho no Bairro do Sambizanga. Com o tempo foi-se aprimorando na arte de cantar, e tornando-se cada vez mais conhecido.
 
Em 1972, pelo seu abnegado trabalho em prol da música, recebe uma estatueta referente aos “11 mais da cidade de Luanda”, que premiava as 11 figuras mais destacadas nas diversas áreas profissionais e sociais na cidade de Luanda.
 
No ano de 1974, fruto do intenso trabalho de mobilização, é preso com seu irmão mais novo “Chico Suiça” e remetidos de imediato para “São Nicolau” – Campo I das Salinas, caserna III, donde saíram após clarificação do processo de descolonização e o Sistema ser obrigado a tratar da libertação de todos os presos, principalmente os do foro político.
 
Desde os meados da década de 60 que Elias Diá Kimuezo, pela qualidade do seu trabalho e a constância do seu desempenho, foi considerado como “O Rei da Música Angolana”.
 
Fonte: Angop

Rádio Jet7 Angola

Vídeos Sugeridos

Procurar Vídeo