Eduardo Paím dedica prémio a todos os seus admiradores

O músico Eduardo Paím dedicou ontem o Prémio Nacional de Cultura e Artes, que lhe foi atribuído na véspera “aos admiradores que se mantiveram fiéis às canções ao longo de 36 anos de carreira”.


“O facto de ser um prémio de excelência torna-o num enorme marco na minha carreira e o reconhecimento especial entre os outros músicos”, disse.


O artista referiu que tem trabalhado ao longo da carreira para agradar ao público, em particular aos admiradores, e que “as coisas acontecem num determinado momento da vida” e que este era o seu.


A crítica, outro sinal importante na minha carreira, salientou, tem sido positiva em relação aos meus discos. Isso, as actuações nos espectáculos mais recentes e a minha trajectória artística, referiu, pode ter sido fundamental na decisão do júri.

 

General Kambuengo, com 36 anos de carreira, é um dos marcos da música contemporânea angolana, que popularizou género kizomba. Tem nove CD gravados, três dos quais – “Kambuengo”, 1994, “Ainda há tempo”m 1996 e “Do Kayaya, 2002 – lhe valeram outros tantos discos de ouro e de prata atribuídos por editoras portuguesas.

 

Fonte: Jornal de Angola

Rádio Jet7 Angola

Vídeos Sugeridos

Procurar Vídeo