Jornalista Divaldo Martins lança romance de estreia

Jornalista Divaldo Martins prepara lançamento do romance Luanda- Um romance intitulado "Pedaços da vida", de autoria do jornalista Divaldo Martins, será lançado quinta feira (29), no Centro Cultural Chá de Caxinde, em Luanda.
 
Segundo uma nota enviada à Angop, o livro do ex-porta-voz do Comando Provincial da Polícia Nacional (PN) em Luanda é baseado em factos reais e narra uma história de amizade, amor e cumplicidade tão dramática, que o próprio considera ter havido uma inversão da lógica, com a realidade a imitar a ficção.
 
O documento refere que "Pedaços da vida" procura descortinar nos percursos da vida de um grupo de jovens, o sentido da própria existência, o poder de Deus e do destino.
 
"No fundo todos nós somos, no instante da nossa existência, um pedaço da vida de outras pessoas. E cada uma, todas estas pessoas são também pedaços de nós", realça na nota.
 
"Na verdade, não somos mais do que pequenos fragmentos soltos. A nossa vontade de viver é que procura juntar esses pedaços em vidas diferentes, sem saber que eles nunca se unem de verdade», conclui Yuri Kondeka, um dos personagens da obra.
 
Produzida graficamente em Portugal, o livro conta com duzentas páginas e, após o lançamento, será colocada a venda nas principais livrarias de Luanda e possivelmente nas províncias de Benguela, Huambo, Cabinda, entre outras onde houver possibilidade de o fazer.
 
Divaldo Martins afirma que o preço do livro estará dentro da média do mercado nacional. O autor contou para a edição do livro com esforço próprio, apoio familiar e a editora nacional "Mundo de Papel".
 
Sobre o problema do livro e da leitura, Divaldo considera fundamental para a afirmação de Angola, a implementação de uma política de incentivo à leitura, bem como forma de elevação cultural, que passaria pela concessão de benefícios fiscais e outros apoios para os agentes do sector livreiro, em particular, e da cultura em geral.
 
«Os tempos actuais são caracterizados por um materialismo exagerado, que parece dominar as nossas prioridades. O ter hoje é mais relevante do que o ser. Neste sentido, é preciso trabalhar para a inversão do quadro, no sentido de um equilíbrio entre o ser e o ter", precisou.
 
Considera ser preciso explicar às pessoas, não só aos jovens e às crianças, mas no geral, a importância da leitura, o papel da literatura na formação da sua personalidade.
 
Divaldo revela que escrita era um sonho apenas adiado por falta de tempo, mas a um ano tem se dedicado a formação e a escrita, tendo já concluído um segundo romance, que se encontra em fase da produção gráfica.
 
O autor afirma que "A teia", que será o título do seu próximo romance, ainda sem data de lançamento, aborda a problemática do HIV/SIDA não só em Angola, mas no continente africano no geral, principalmente a região austral, uma das mais afectadas do mundo.
 
Para si, não  se tem dado ao problema do Sida a verdadeira importância, principalmente no que se refere às suas implicações na vida das pessoas e dos países, disse.
 
A fonte tem como referências na literatura, Luandino do «antes da independência», como sublinha, e José Eduardo Agualusa, que considera ser neste momento, um dos maiores expoentes da literatura angolana. A par de Pepetela, sobre a nova geração, tem em Ondjaki um dos expoentes máximos.
 
Além fronteiras, tem como principais referências Herman Hesse e Gabriel Garcia Marquez, mas confessa que, em termos de estilo, o seu maior ícone é Mia Couto, o escritor luso-moçambicano.

Fonte: Angop

Rádio Jet7 Angola

Vídeos Sugeridos

Procurar Vídeo