Daniel Nascimento: «Eu não preciso de bajular o Republicano»

Dono de uma das mais bonitas vozes de Angola, Daniel Nascimento, artista da LS Republicano esteve recentemente no programa de Afonso Quintas onde mostrou a sua satisfação pelo momento que está a viver na sua carreira. O artista aproveitou para falar um pouco sobre o Team de Sonho, o coletivo de músicos agenciados pelo promotor de eventos, Nino Republicano.

 

O membro do Team, Daniel, achou muito positiva as digressões que o seu grupo tem feito nos últimos tempos e revelou alguns dos detalhes que as câmaras não captam chegando a afirmar que o Republicano teve atitudes de génio:

 

"Não existem ‘egos’ no Team de Sonho, estamos todos bem dispostos e a puxar uns pelos outros. Lembro-me que em Cabo-Verde a Ary estava um pouco indecisa sobre o que iria cantar porque estava diante de um público diferente do habitual, eu disse-lhe para subir ao palco e fazer o seu trabalho, dei-lhe toda a motivação. Com a Pérola foi a mesma coisa e felizmente correu muitíssimo bem. A repercussão das digressões foi boa e todos nós fomos recebidos com o mesmo carinho e entusiasmo. Estas viagens do grupo são óptimas porque servem para nos conhecermos cada vez melhor e o que o Republicano fez, na minha opinião, é genial. Juntou-nos para percebermos que somos todos importantes, não existem uns mais, outros menos, nem os que ‘batem’ mais ou os que ‘batem’ menos. Se ele escolheu aquelas pessoas é porque achou que essas pessoas é que fazem sentido no Team de Sonho, porque cada um tem uma função e público diferente".

 

Portugal não está na rota da música internacional
 

Devido ao facto de estarem a realizar grandes concertos em Portugal, o músico foi questionado se aquele país tem servido como um trampolim para atingirem outros mercados: "Portugal em termos de mercado internacional de música não está na rota, mas é um mercado que nós nunca podemos ignorar. O sucesso do C4Pedro foi algo que surpreendeu as pessoas pelo estilo de música que canta, encheu o coliseu onde a maioria do público eram portugueses.

 

"Eu não preciso de bajular o Republicano"

 

O artista angolano disse ainda que o sucesso do seu grupo deve-se a Republicano e teceu alguns elogios ao responsável da LS que tem vindo a ser alvo de criticas por parte de alguns músicos que não fazem parte da sua editora: "Eu não preciso de bajular o Republicano, acho que é preciso reconhecer quando as pessoas têm mérito e ele trabalha muito por nós e teve a genialidade de criar este grupo que representa muito trabalho. Ele e toda a sua equipa trabalham para que nada nos falte e para que nos possamos sentir bem em todos mercados quer nos conheçam ou não. Eu tenho uma grande admiração por ele".

 

Para rematar o músico angolano detentor de uma poderosa voz, desvendou alguns aspectos sobre o novo disco, dizendo que estão a trabalhar a velocidade do cruzeiro para lançar a obra, mas não adiantou datas de lançamento.

 

Fonte: Sapo Banda

Rádio Jet7 Angola

Vídeos Sugeridos

Procurar Vídeo