Cineasta angolano vence prémio internacional de cinema

imageLuanda - O produtor e realizador cinematográfico angolano José Laplena arrebatou nesta sexta-feira, em Luanda, o Prémio Internacional de Cinema, na categoria de documentário com o filme intitulado “Kinshasa Palace”.

 

O documentário, com cerca de 75 minutos, concorreu com outros oito filmes estrangeiros de países como África do Sul, Portugal, Brasil e Reino Unido, que participaram no II Festival Internacional de Cinema (FICLUANDA).

 

José Laplena, que dedicou o troféu a Deus, disse que o filme retrata aspectos da vida do seu pai, angolano imigrado em Kinshasa, capital da República Democrática do Congo.


Para a categoria de ficção internacional, longa-metragem, o prémio foi atribuído ao realizador etíope Haile Gerima, radicado nos Estados Unidos da América, com o filme “Teza”.

 

Haile Gerima, que enalteceu a organização do certame pela iniciativa, destacou a qualidade dos filmes participantes do FICLUANDA.

 

“A organização do festival está de parabéns pela forma organizada que estruturou a prova, assim como pela qualidade dos filmes seleccionados e exibidos no concurso, que estão ao nível de qualquer outra competição internacional”, realçou.

 

Na prova de curta-metragem internacional, o troféu coube ao realizador português José Salavisa com o filme “Arena”, enquanto  o produtor britânico Jon Blair venceu o prémio especial do corpo de jurado com a película “Dançando com o Diabo”.

 

No que diz respeito a categoria dos troféus de filmes de produção nacional, o realizado e produtor Kiluanji Liberdade ganhou o prémio na classe de documentários com a obra “Luanda fábrica de música”.

 

O filme “A guerra do Kuduro”, do realizador e produtor Henriques Narciso “Dito”, venceu o prémio na categoria de produção de ficção.

 

No final da gala, realizada no Cine Tropical, a ministra da Cultura, Rosa Cruz e Silva disse que o festival correspondeu as expectativas, quer a nível da organização, quer na qualidade dos filmes exibidos no festival.

 

Na mesma senda, a governante garantiu que o seu pelouro vai se empenhar no sentido de angariar mais apoios para os fazedores de cinema.

 

De acordo com a governante, esse apoio visa melhorar ainda mais qualidade da produção nacional e potenciar os realizadores angolanos para competirem em pé de igualdade com os outros cineastas estrangeiros.

 

O evento, animado pelos músicos Gabriel Tchiema, Man Beto e a banda Akapaná, contou com a presença de governantes, políticos, diplomatas, produtores, realizadores, actores de cinema, entre outras individualidades.

 

O festival, que decorreu de 20 a 27deste mês, teve como principal objectivo promover o material cinematográfico produzido no país, bem como proporcioná-lo ao público.


Organizado pelo Ministério da Cultura, o FICLUANDA decorreu em três espaços, nomeadamente o Cinema Atlântico, o Cinema Nacional e no Auditório Pepetela, com sessões competitivas, projecções de filmes, oficinas de formação, conversas e concertos até ao dia 27.


Zezé Gambôa, Albert Egbe, Anmdrew Amenechi, Dorothee Wenner, José Ribeiro, Maria Margarida Cardoso e Poças Pascoal participaram da iniciativa.

 

Fonte: Angop

Rádio Jet7 Angola

Vídeos Sugeridos

Procurar Vídeo