Celso Malavoloneke fala sobre o albinismo em Angola

Foi perante uma plateia jovem que Celso Malavoloneke, jornalista e professor universitário, se apresentou com a boa disposição que o caracteriza, para falar sobre um tema “tabu” na maior parte dos países africanos, o albinismo.

O jornalista considera que a questão do albinismo em África está sempre ligada ao preconceito mais do que na Europa.

“Existe albinismo em todas as raças, mas em África é mais visível esta diferença por ser um continente de pessoas negras. É sempre surpreendente quando nasce no seio de uma família negra, uma pessoa muito branca, isso remonta aos tempos dos nossos avós. E já nessa altura isso causava muita confusão na cabeça dos mais velhos”, afirmou Malavoloneke durante a entrevista no programa "Hora Quente", apresentado por Cabingano Manuel.

“Acontece em todo o mundo, quando uma pessoa não consegue explicar um fenómeno procura uma explicação no plano místico ou espiritual, e isso aconteceu com os albinos”, concluiu.

O jornalista partilhou uma história sobre um episódio ocorrido na Tanzânia em que foi acompanhado por seguranças para garantir que não fosse atacado por feiticeiros.

 “ Em muitos países africanos acredita-se que os albinos têm poderes contra o feitiço, felizmente em Angola isso não se verifica. Angola é um dos melhores países da África subsariana para uma pessoa albina nascer e viver, porém existem ainda alguns casos de preconceito no nosso país, disse Malavoloneke.

Molovoloneke falou também sobre o trabalho que tem realizado no campo social que visa apoiar e integrar a comunidade albina em Angola, e recordou que as pessoas albinas são perfeitamente normais, apenas precisam de ter alguns cuidados especiais com a pele e a visão. Por isso deixou um alerta a sociedade. 

“Os protectores solares são muito caros, e muitas famílias das áreas rurais não têm condições para comprar protectores. Isso explica a morte prematura de pessoas albinas no nosso país. O cancro de pele é uma das principais causas de morte prematura em pessoas albinas", advertiu Celso Molovoloneke.

Celso Molovoloneke se encontra actualmente em funções no MINARS(Ministério da Assistência e Reinserção Social onde desempenha o cargo de Consultor do Ministro para a Comunicação Institucional.

 

Fonte: TPA

(Foto: Reprodução)

Rádio Jet7 Angola

Vídeos Sugeridos

Procurar Vídeo