Bangão movimenta fãs na Praça da Independência

 

Luanda - Centenas de fãs estão concentrados na Praça da Independência, em Luanda, local onde decorre desde às 7 da manhã a sessão de lançamento do mais recente trabalho discográfico do músico angolano Bangão, intitulado “Estou de Volta”.
 
Para evitar as habituais correrias de última hora, os “madrugadores”, que já conseguiram comprar a cópia do duplo CD, esperam, nesta altura, pela chegada da “estrela” do dia para a obtenção do competente autógrafo.
 
Apesar de se registar ainda um clima calmo e sem problemas em termos de organização, mas já com uma enorme fila indiana de quem espera pelo autógrafo, prevê-se que hoje o local seja novamente pequeno para receber tamanha moldura humana que Bangão costuma arrastar nos locais onde promove as suas actividades.
 
Com dois mil kwanzas na mão os fãs podem levar uma cópia do duplo CD “Estou de Volta” que traz a público 34 temas, sendo 14 inéditos.
 
Entre as músicas antigas e já do domínio dos fãs, no disco são encontradas “Kakixaka”, “Dioguito”, “Minga”, “Kanjila”, entre outras referências históricas de Bangão.
 
Dos temas inéditos do duplo CD (que tem uma tiragem de 30 mil cópias) constam “Hanami dilanguenu”, “Ingú”, “Wendengue Wami”, “Garina do Suegue”, “Mini saia”, “O Bonzo”, “Baliza”, “Kuditata kuami”, “Mamã Kudile” e “Fonseca”.
 
Para além dos fãs, quem também já marcou posição, para evitar embaraços ao trânsito no local, é a Polícia de Trânsito que destacou alguns agentes para tratar da ordem.  
 
 
Munidos com todos os instrumentos necessários ao seu trabalho, os agentes de serviço vão, nesta altura, passando alguns conselhos aos fãs do artista para que possam estacionar da melhor maneira as suas viaturas, evitando multas por mau estacionamento ou desrespeito às regras do trânsito.
 
“Estou de volta” é um duplo CD de Bangão que regressa ao mercado discográfico 8 anos depois da apresentação do “Cuidado”.
 
Nesta empreitada, o cantor trabalhou com vários produtores nacionais, com destaque para Nelo Paim, Sissy e Betinho Feijó.
 
As músicas do disco têm uma mensagem social que vai de encontro com a harmonização familiar, em questões como o respeito ao próximo.
 
Kimbundo e português são as línguas escolhidas pelo artista.
 
Com 34 anos de carreira, Bangão elege como ritmos do seu terceiro disco, produzido pela Marimba e Estúdio Regi, o semba, kilapanga, bolero e rumba.
 
Trajectória:
 
Bangão como é conhecido no mundo artístico é um dos músicos mais referenciados do mercado nacional, fruto dos seus dois últimos discos “Sembele” e “Cuidado”.
 
Exímio executante do estilo semba, que no suporte textual das suas canções apresenta narrativas autênticas de ocorrências do quotidiano angolano, Bangão pisou pela primeira vez um palco a 18 de Outubro de 1978, como elemento do grupo os Gingas Kakulo Kalunga.
 
Na sua carreira artística, passou pelo agrupamento “Tradição”, em 1974, que integrava, entre outros, Alaito (tumbas) e André Lua (voz).
 
De 1976 a 1977 integrou, como vocalista, o grupo Processo de África, com Guncha (tumbas), Artur Décimo (viola baixo), Alaito (bateria) e Abílio (viola ritmo). No entanto a sua primeira grande aparição pública ocorre a 18 de Outubro de 1978, como integrante do grupo Os Gingas Kakulo Kalunga.
 
Em 1996, venceu o prémio Liceu Vieira Dias, com o tema “Kibuikila” (Peste), acompanhado pela Banda Movimento. Em plena ascensão da carreira Bangão é convidado, em 1999, a fazer parte da Banda Movimento, sempre como vocalista.
 
No mesmo ano, ganhou a primeira edição do concurso Semba de Ouro, com a canção “Kangila” (pássaro agoirento) e afirmou-se como cantor e compositor de inequívocos créditos firmados.
O ano 2003 consagrou Bangão como um dos maiores intérpretes da música popular angolana.
 
Neste ano, no Top Rádio Luanda, ganha os prémios da música do ano, com o tema “Fofucho”, voz masculina do ano e é reconhecido com o prémio preservação pela sua incessante defesa da música popular angolana.
 
Em 2005 venceu o Top dos Mais Queridos, da Rádio Nacional de Angola (RNA).
 
Nascido a 27 de Setembro de 1962, no bairro Brás, no actual distrito urbano do Sambizanga, em Luanda, onde inicia a carreira musical, Bangão já participou em espectáculos realizados em Portugal, Argentina, Namíbia e Brasil, onde dividiu o palco com o cantor brasileiro Gilberto Gil.


Fonte : Angop

Rádio Jet7 Angola

Vídeos Sugeridos

Procurar Vídeo