Artista Mamborró afirma que pretende voltar à música

 José Manuel Jorge Machado, ou Mamborró, que, em 23 de Abril, depois do “Show da Saudade”, devido a problemas de diabetes, teve de ser levado para Namíbia, disse, ao Jornal de Angola, que é na família e nos amigos encontra forças para superar a doença. O artista quer regressar à actividade artística e acabar de gravar o próximo disco.


Jornal de Angola - Como tem sido a recuperação?


José Machado – Bastante boa, cumpro rigorosamente a medicação. Em Outubro, regresso à Namíbia para exames de avaliação. Até lá, como me recomendaram, faço caminhadas e procuro desenvolver as minhas actividades normais.

JA – Quando soube que era diabético?

J M -  Em Setembro de 2008. Tinha constantes dores de estômago e, por isso, ia com frequência ao hospital, até que descobriram que a doença estava num estado avançado e fui internado.


JA – O que originou o agravamento da doença?


J M -  A primeira vez que regressei da Namíbia já me sentia melhor. Decidi abandonar o tratamento porque pensei que estava curado. Levava uma vida extravagante e descuidada. Só queria estar com os amigos e dormir fora de casa. Este foi o maior erro que cometi. Não tinha consciência da gravidade do meu estado de saúde.


JA – Tem recebido ajudas para o tratamento?


J M -  Tenho apoios de pessoas colectivas e individuais. A minha recuperação só está a ser possível por existir muita solidariedade de várias instituições do Estado e pessoas singulares que se associaram para salvar a minha vida. A União Nacional dos Artistas e Compositores (UNAC), a Rádio Luanda, o meu agente, Manuel dos Santos “Kito”, o Maya Cool, meu amigo desde os tempos do Rádio Piô e vários outros músicos que têm participado em espectáculo de angariação de fundos a meu favor. Aproveito para pedir desculpa às pessoas por ter abandonado a medicação.


JA – Vai continuar a cantar?


J M - Estou longe de parar de cantar. Depois de ter apresentado o meu primeiro disco de originais, “Um pouco de mim”, em 2008, prometi trabalhar no sentido de apresentar novas propostas. Só Deus sabe quando vou parar de cantar. Estou aberto a todas as propostas e disposto a trabalhar com outros músicos. Pretendo fazer uma recolha dos meus sucessos, como “Boda de Sábado”, “Belinha Chuchu”, “Vovó Samba” e incluí-los no próximo disco.


JA - Vai contar com a participação de músicos nacionais?

J M - Tenho grandes referências musicais como Carlos Burity, Patrícia Faria, Maya Cool, Maranax e vários outros artistas, que provavelmente vão participar no meu próximo disco. Penso convidar os artistas que têm carinho por mim.

JA - Sente-se realizado profissionalmente?


J M - Ainda não. Tenho um caminho longo a percorrer. Quero mostra aos meus admiradores, que ainda tenho muito para mostrar no mundo artístico. Estou a viver um momento difícil da minha carreira, mas acredito que vou vencer.


JA – Onde arranja força para ultrapassar a doença?


J M - Vou buscar ânimo e força na família, particularmente na minha mulher, que está comigo nesta luta desde o princípio. Agradeço também aos meus amigos pelo companheirismo demonstrado. A presença deles é para mim como se fosse uma injecção de força. Lembro-me das várias vezes que pensei em desistir do tratamento e da vida.


JA – Que mensagem deixa à nova geração de músicos?


J M – Encorajo a nova geração de músicos a continuar a seguir o trabalho desenvolvido ao longo destes anos. Não podem relaxar, se quiserem continuar a conquistar o mercado internacional e espalhar a magia dos nossos estilos musicais pelo mundo. Felicito o facto de muitos músicos da nova geração consultarem artistas que dominam outros estilos e com maior experiência para compor os seus temas.


O autor do tema Belinha Chuchu

José Manuel Jorge Machado ou “Mamborró” nasceu a 7 de Agosto de 1970, na vila da Gabela, província do Kwanza-Sul.  O artista, em 2008, apresentou o seu primeiro trabalho discográfico a solo com o título “Um poço de mim”. Gravou um single com os temas “Quando eu passo pelas ruas”, “Guida” e “Ndenguelândia”. Vencedor do Top dos Mais Queridos, da RNA, e Top dos Cinco, em 1987, Mamborró frequentou entre 1988 e 1992, um curso de música no Brasil.

 

Fonte: Jornal de Angola 

Rádio Jet7 Angola

Vídeos Sugeridos

Procurar Vídeo