Angolana «Nádia de Vasconcelos» é candidata ao Miss Grand Internacional

Nádia Nalumia de Vasconcelos, jovem angolana de 26 anos de idade, estudante do curso de Gestão de Empresas na Universidade Lusíada de Angola, é uma das 86 candidatas inscritas na 1ª edição do Miss Grand Internacional, que se realiza a 19 de Novembro próximo, em Bangkok, naTailândia.

 

O concurso tem como objectivo chamar a atenção das pessoas e do mundo em geral sobre a necessidade de acabarem com a guerra, para que todos vivam sempre em paz, em constante harmonia e felicidade, independentemente do estatuto social de cada um, da religião, raça, hábitos e costumes.

“O nosso país é a prova de que a paz é a melhor via para vivermos e termos uma vida feliz. Na qualidade de angolana, é com muito orgulho que levo o nome do meu país para lá e falar um pouco da história do nosso povo que tem tudo para sorrir de novo”, sublinhou.
 

Entre as candidatas que confirmaram a sua participação no evento, nove são de países africanos (Angola, África do Sul, Zimbabwe, Uganda, Namíbia, Nigéria, Guiné Equatorial, Gabão e Quénia).
 

Nádia de Vasconcelos, natural do Lubango, província da Huíla, revelou ao Jornal de Angola que depois de ter recebido o convite da Agência Beauties of África, uma instituição sedeada em Londres (Inglaterra) que procura modelos africanas talentosas para representarem os seus países em concursos internacionais de beleza, precisou ainda do incentivo de um amigo para confirmar a sua participação no evento. Eleita Miss Huíla 2008, ano em que participou no Miss Angola e ficou entre as 10 finalistas do concurso, Nádia Vasconcelos prometeu dar o seu melhor para elevar bem alto o nome de Angola no Miss Grand Internacional, mas a modelo angolana receia que a falta de a­poios pode retirar-lhe a oportunidade de realizar mais um sonho.
 

“Estou preocupada pelo facto de até agora não conseguir reunir apoios necessários para melhor representar o país no evento. Pretendo ir para a Tailândia dignificar o nome de Angola”, disse. “Para tal, preciso de apoios financeiros, porque há uma necessidade grande de estar ali sempre muito bem apresentada, com vestuários a altura do evento, sobretudo bons trajes tradicionais para pelo menos vencermos nessa categoria”, disse.

 

Fonte: Jornal de Angola

Rádio Jet7 Angola

Vídeos Sugeridos

Procurar Vídeo