Angola: Há Djs a ganhar mais de 10 mil dólares por mês

Angola: Há Djs a ganhar mais de 10 mil dólares por mêsSer Dj em Angola já é uma profissão rentável. Silvio Silva, vulgarmente conhecido por Dj Silyvi, revelou que gosta mais de tocar em festas organizadas por jovens e em raves. Segundo ele, por cada festa, um Dj cobra dois a cinco mil dólares americanos ou mesmo 10 mil. “Mensalmente, um Dj pode facturar 20 ou 30 mil dólares, nunca é um valor exacto”, disse.

 

Dj Silyvi contou que não toca em casamentos por ser apenas um Dj de animação, especializado em house music, uma variante de música electrónica. Não tem sido contratado para tocar durante toda a a noite, pelo que, o valor que cobra é para tocar uma hora ou 45 minutos, mas nalgumas situações toca durante duas horas, precisa Silyvi.

 

“A gente tenta sempre fazer alguma coisa para ganhar um valor que valha a pena”. Silyvi é Dj profissional desde 2006. Além de tocar em festas, o jovem trabalha na gestão de uma banda musical. Silyvi considerou que ser Dj é como qualquer outra profissão, difere apenas no horário. Com uma vantagem: permite-lhe ir a muitas províncias do país. “Este ano, andei pelas 18 províncias do país, tive a oportunidade de conhecer muitas pessoas, estar em ambientes festivos e divertir-me enquanto estive a trabalhar”, indicou. Revelou que tem um núcleo de fãs e que é sempre bem recebido pelas pessoas que gostam do seu trabalho, acompanham-no e fazem questão de estar nas festas em que actua. “São muitos os que aplaudem, dançam e choram”, lembrou.

 

Ser Dj é saber pôr boas músicas e fazer as pessoas dançar e alegrar-se. Silyvi começou a sua carreira por gosto. Para aperfeiçoar a sua profissão, o jovem fez dois cursos: um de DJ na Dance Planet e outro na NK2. “Sempre gostei de música e continuo ligado a ela. Quando vivia em Portugal, juntava discos e, assim que regressei a Angola, comecei a dedicar me mais à música”. Em Angola, aprecia imenso o Dj João Reis e tem-no como pai. A nível internacional, aprecia o Dj Liter Livega e outros, que o influenciam.

 

Angola: Há Djs a ganhar mais de 10 mil dólares por mêsÀ semelhança de Silyvi, Bruno Pereira, conhecido como Bruno AG, começou a sua carreira em 1997. As solicitações que tem recebido para tocar aos fins-de-semana e o percurso que teve ao longo da carreira tornaram-no conhecido. Já tocou nos maiores e melhores clubes e shows nacionais e ser membro do grupo musical (Zona 5) funciona como um cartão-de-visita.

 

Como referências internacionais, Bruno menciona Carl Cox, Q Bert, Premier e Avicii. Em Angola, o Dj respeita o trabalho de alguns, mas não os tem como referência.

 

Bruno AG começou a ser mais profissional em 2003, depois de Dj residente no Club Kaus. “O lucro de um Dj depende muito do estilo musical. Um Dj versátil, que toca kizomba, semba, kuduro e rap, pode fazer muito mais dinheiro que um Dj que só toca house ou hip hop, por exemplo”, refere.

 

Em contrapartida, factores como o empenho, qualidade de equipa, amizades e estratégias podem ser muito rentáveis, independentemente do estilo que o Dj toca. “Sou mais ligado ao hip hop, mas introduzo alguns electrónicos como dubstep, trap, house, etc”, adiantou.

 

“Um Dj deve, acima de tudo, ter bons ouvidos, técnica, criatividade, imaginação, inovação, informação, respeito pelo público e sentir a música que toca”, destacou.

 

Bruno AG disse não ter cachet estipulado para os seus clientes. “Peço sempre que o cliente seja honesto, pagando o que pode ou acha justo. Também depende muito da minha disposição. Só toco quando quero. Encaro a minha forma de tocar como arte. A remuneração é uma questão de respeito. Posso aceitar que me paguem com um cabrito”, disse.

 

Para Bruno, existem muitos factores que determinam o lucro de um Dj. “Num mês, posso chegar a fazer 50 mil Kwanzas ou chegar até a um milhão de Kwanzas. Como todo o Dj, o mês de Dezembro é sempre em alta”, afirmou.

 
Dj ́s cobram pelo nome e qualidade

Angola: Há Djs a ganhar mais de 10 mil dólares por mês Por outro lado, Luís Tandala, conhecido por Dj Kapiro, fez saber que ser Dj é ter a capacidade de animar e dar alegria aos seus clientes. Kapiro afirmou que, apesar de perder noites, ser Dj não é uma tarefa difícil, dado que é algo que se faz por amor. Tudo que é feito por amor não é difícil.

 

Kapiro profissionalizou-se desde o momento em que começou a tocar na discoteca Chiuaua. Kapiro disse ser complicado divulgar o valor que os Djs profissionais cobram por cada noite, o qual depende muito do tipo de evento e da forma de trabalho. “Existem trabalhos em que o Dj leva a aparelhagem e outros em que não”, explicou.

 

Informou, igualmente, que a mão-de-obra custa acima de 100 mil Kwanzas e, caso leve o seu material, o preço é mais elevado. Dj Kapiro disse que toca em todo o tipo de eventos. Numa festa formal, pede acima de 300 mil Kwanzas. “Se for menos, não faço o trabalho. Numa rave o Dj pede acima de 200 mil, por menos não aceita”, informou.

 

“Quando aceito um compromisso, tenho de o fazer. As pessoas pagam para ver o Dj Kapiro tocar e não para ouvir os "meus miúdos". Se eu tiver um compromisso, apresento a proposta ao cliente de enviar um dos meus miúdos para fazer o trabalho. Os clientes são livres de aceitar ou não. Nestes casos, o valor a cobrar baixa. Nós cobramos pelo nome e pela qualidade do trabalho”, revelou.

 

Durante o mês, um Dj pode facturar, no mínimo, 10 mil dólares. Kapiro contou que os três últimos meses do ano são o período em que mais se factura mas, para quem já tem nome no mercado, não há épocas fracas. “Somos muito solicitados para qual- quer tipo de eventos”.

 

Além de tocar em festas, Kapiro tem-se dedicado a outras actividades. O jovem dedica o seu tempo a uma gráfica ligada a festas. “Quem realiza eventos precisa sempre de t-shirts, fitas e eu abri a minha empresa para prestar serviço nesta área”, revelou.

 

Nesta altura, já é possível um Dj viver somente da música. É como um músico. Kapiro disse que não programa nada em casa e tudo quanto faz implementa no momento consoante a leitura de pista. O Dj contou que sente a vibração dos convidados e calor positivo. “Agradeço aos meus fãs que são os meus pilares. A profissão de Dj é rentável”, disse Kapiro.

 

O jovem Dj aprendeu a tocar em casa e nunca teve formação na área. Para ele, ser Dj é um talento. Na sua carreira, Kapiro considera os Dj ́s Malvado e João Reis como professores e, muitas vezes, fontes de inspiração.

 

Dj Kapiro é profissional há 12 anos e começou a tocar com 16 anos de idade. Foi assim apelidado por uma vizinha, porque, no passado, era franzino “Kapiriquito”.

 

Angola: Há Djs a ganhar mais de 10 mil dólares por mêsJá Ivaldo Rangel, ou Dj VadoMix, contou a O País que é conceituado no mercado nacional devido ao nível de festas para que é convidado a tocar. Vado Mix disse Dj ser uma profissão rentável. O valor a cobrar varia de evento para evento. O cachet mínimo é de 1500 dólares por festa. “Numa festa formal ou casamento e com o meu material, peço seis mil dólares, em raves depende do tempo que vou tocar. Por uma hora, peço 1500 dólares, para toda noite, 3 mil dólares. Tocar fora de Luanda e do país fica mais caro. Mensalmente, consigo facturar seis mil dólares ou mais”, disse.

 

Dezembro e Fevereiro são os meses com maior procura e o preço também fica mais elevado. Vado Mix disse que gosta da profissão e já é possível viver de a actuar com DJ, mas acrescenta que tem curiosidade em aprender a tocar alguns instrumentos musicais.

 

Vado Mix é um Dj de especialidade e toca com frequência o hip hop, mas garante que toca de tudo um pouco. O jovem exerce há 11 anos a profissão.

  Organizadores de eventos pagam 10 mil no fim-de-ano

 

O organizador de eventos Bráulio Carvalho (Sócio-Gerente da Discoteca, conceituada, Bay In) disse que os valores que têm pago aos Dj ́s dependem do tipo da noite, do local e do número de pessoas que vão participar no evento. Bráulio Carvalho contou que, para garantir boa música na festa, paga cinco a três mil dólares, numa época normal. Bráulio disse que o mês também determina o valor que vai ser pago ao Dj. No fim-de-ano, o organizador paga 10 a 15 mil dólares pela música, realçou.

 

Fonte: Opaís

Rádio Jet7 Angola

Vídeos Sugeridos

Procurar Vídeo