Ângelo Vitoriano: «Sentimo-nos abandonados... apesar de tudo o que fizemos pela pátria»

Ângelo Vitoriano: «Sentimo-nos abandonados... apesar de tudo o que fizemos pela pátria»

 

Ângelo Vitoriano, considerado um dos melhores basquetebolistas angolanos e do continente africano, campeão de vários títulos enquanto jogador da selecção angolana de basquetebol, revelou em entrevista à revista Caju, que está a viver um dos piores momentos da sua vida.
 

O antigo jogador da selecção angolana de basquetebol revelou que padece de diabetes, e enfrenta dificuldades financeiras que o impedem de tratar a doença, facto este, que está a agerar uma onda de solidariedade por parte dos angolanos, no sentido de o ajudarem nos tratamentos.
 

Ângelo Vitoriano revelou que tudo o que mais deseja é voltar a jogar basquetebol, pois, é o que mais gosta de fazer. Disse ter mantido o contacto com um dirigente do país, que lhe garantiu novamente um lugar no basquetebol angolano.
 

O antigo jogador da selecção angolana de basquetebol afirmou que o país (Angola), nunca soube retribuir as alegrias que deu aos angolanos ao longo dos seus 20 anos de carreira, mas que habituou-se desde cedo a lidar com a vida.
 

Quando questionado sobre o paradeiro das antigas estrelas do basquetebol angolano, Ângelo Vitoriano afirmou "desaparecemos, sentimo-nos abandonados pelo país, apesar de tudo o que fizemos pela pátria." Lamentou que tem um filho de 25 anos de idade e que em breve terá netos, mas que nada tem.

Ângelo Vitoriano afirmou que como jogador, nunca recebeu casa, e acrescentou que vive numa casa arrendada, mesmo tendo participado em seis mundiais, jogos olímpicos, onze campeonatos africanos, do qual ganhou oito como jogador e um como treinador adjunto, entretanto, nunca teve o prazer de receber algo simbólico por tudo o que fez pelo país.

Questionado sobre a sua actual actividade profissional, Ângelo Vitoriano afirmou que está a gerir dois armazéns de bebidas de um familiar.

 

Ângelo Vitoriano afirmou que ele e os seus colegas jogaram numa época em que não ganhavam quase nada. Lembrou que o prémio do primeiro título africano foi de 2.500 USD, e o último (2005), foi de 10.000 USD. Lamentou o facto das pessoas pensarem que por todos esses títulos, ganhavam muito dinheiro.

Enquanto jogador, Ângelo Vitoriano afirmou que o seu salário era descontado, porém, não sabe para onde foi tal desconto, pois hoje, nenhum dos antigos jogadores tem uma pensão do estado.

 

Fonte: Jet7 Angola / Revista Caju

Rádio Jet7 Angola

Vídeos Sugeridos

Procurar Vídeo